Saudades...



Pego uma xícara de café e sento em minha escrivaninha, onde nela estão espalhadas várias fotografias antigas.  Gosto de relembrar as coisas que se passaram no passado. Momentos tão maravilhosos que eu nunca esquecerei. Lembro do modo que você me abraçava, do cheiro do seu perfume, do seu cabelo bagunçado, do seu sorriso. Era tão perfeito.

O tempo fez com que as coisas mudassem, mas parece que meus sentimentos sempre foram o mesmo. Lembro-me de como nossas mãos se encaixavam perfeitamente a cada toque, lembro-me de nossos olhares trocados ao longo do tempo.

Toda vez que eu volto a pensar no passado eu me sinto tão vazia. Sinto como se eu estivesse incompleta, como se um pedaço de mim estivesse sido tirada, o que realmente aconteceu quando você juntou as suas malas e levou todas as nossas histórias.


Pode ser que o tempo tenha feito com que o sentido da palavra ‘’nós’’ mudasse, mas ele não mudou os meus sentimentos por você. Fico na esperança que você volte. Fico pensando em quando os meus sonhos se tornarem realidades para você voltar para mim e me fazer sorrir de novo. Espero que você um dia possa me fazer feliz novamente, assim como era. 

Resenha: A estrela que nunca vai se apagar.

 Título: A estrela que nunca vai se apagar. 
Autores: Esther Earl com Lori e Wayne Earl.
Editora: Intrínseca.

Sinopse: Diagnosticada com Câncer da tireoide aos doze anos, Esther Grace Earl era uma adolescente talentos e cheia de vida. Fazendo jus ao nome, que em persa significa ‘’estrela’’, ela marcou todos em seu caminho com sua generosidade, esperança e altruísmo enquanto enfrentava com graciosidade o desgaste físico e mental causado pela doença. Filha, irmã e amiga divertida, alto- astral e inspiradora Esther faleceu em 2010, logo após completar dezesseis anos, mas não sem antes de servir de inspiração para milhares de pessoas por meio de seu vlog e dos diversos grupos on-line de que fazia parte.
Esta é uma biografia única, que reúne trechos de diários, textos de ficção, cartas e desenhos de Esther. Fotografias e relatos da família e de amigos ajudam a contar a história dessa menina inteligente, astuta e encantadora cujo carisma e força inspiram o aclamado autor John Green a dedicar a ela sua obra best-seller A Culpa é das Estrelas.



Resenha: ''A Estrela que nunca vai se apagar'' é uma biografia única. No livro, nós temos o direito de saber como era a vida de Esther, desde a sua infância, passando pela descoberta do câncer, do tratamento para combater esse problema e depois, infelizmente, passamos pela morte sua morte.

O que torna a leitura do livro mais divertida e interessante é pelo fato de ela conter relatos familiares, de amigos, dos médicos de Esther e, até mesmo, dela mesma que foram retidas do seu diário. Além disso, ele contém imagens diferenciadas como fotos, desenhos feitos por Esther, alguns trechos tirado do diário dela entre outras surpresas.




É impressionante que com pouca idade ela conseguia lidar com o câncer de uma forma madura. Para quem não sabe, ela foi diagnosticada com 12 anos e partiu aos 16. A grande preocupação que invadia os pensamentos de Esther era de como ela queria fazer a diferença na vida de uma pessoa e, por incrível que pareça, ela conseguiu. Esther inspirou várias pessoas como, por exemplo, o escritor John Green, que dedicou o livro A Culpa é das Estrelas para ela. Fofo né?

Amei a biografia. No momento que eu terminei de lê-lo eu fiquei com vontade de ir ajudar algumas crianças com câncer, de visitar alguma instituição. 

Acho que essa foi uma das resenhas mais curtas que eu já fiz até agora mas eu tive que compartilhar isso com vocês, espero que gostem!!


Amor, intensidade, valor, paixão, rejeição, esperança, cuidado, fracasso, alegria. O que a vida joga em cima da gente nunca faz sentido. Parece até que estamos nas mãos dela. Quanto tempo esperamos que a vida mude a gente?Quanto tempo devíamos tentar mudar a nós mesmos? O peso da morte, o peso do pavor. O fardo do estresse, aqui está a dor. Nunca saber, nenhuma projeção, nunca saber, quanta confusão. Não demonstre se importar, não tenha amor, não sinta alegria, senão você pode mudar. 

Tag: Arco-Íris de livros


Hey Constellations, estou aqui com uma segunda tag. Eu achei ela por acaso quando eu passava pelo blog Parte da Minha História. Achei ela interessante então resolvi faze-la.

Regras.

  1. Postar foto das 5 melhores capas da sua estante.
  2. Postar fotos do Arco-íris.
  3. Responder as perguntas da entrevista coletiva.
  4. O certo é indicar alguns blogs, pelo que eu entendi. Porém, eu irei fazer igual o blog em que eu peguei a tag. Está livre para quem quiser pegar. Depois é só me avisar =)


As 5 melhores capas da minha estante.








Foto do Arco-Íris


Peguei livros bem aleatórios.
Verde: Insurgente.
Azul: Deixe a neve cair.
Cinza: Quem é você, Alasca?
Roxo: Fazendo meu filme.
Vermelho: O Código da Vinci.

Entrevista.

Como escolheu o nome do blog?
Eu estava na escola pensando em montar um blog. Estava com essa ideia montada em minha mente faz tempo, porém, eu não tinha um nome formado que combinasse com o estilo de coisas que eu iria postar. 
A ideia surgiu quando eu olhei para o caderno da minha amiga, que é de A Culpa é das Estrelas, e pensei em constelações. Pensei que seria um bom nome pois seria os meus pensamentos que eu queria compartilhar com todos. Foi um nome bem aleatório, mas que me encantou.

Quanto tempo se dedica ao blog?
 Depende, acho que nas férias eu irei me emprenhar melhor. Por mim eu postaria todos os dias mas sabe quando a inspiração foge? Pois é, isso acontece comigo e acaba não dando.

Já teve algum problema com comentários anônimos no blog? Qual?
Ainda não. Acho que o meu blog é bem pequeno para esse tipo de problema.

Você se inspira em outro blog? Qual?
Não pois as minhas ideias vem do nada, mas eu adoro acompanhar outros blogs.

Há quanto tempo está na blogosfera? 
No dia 09/6 irá fazer 3 meses. 

Quantos blogs você visita por dia?
Eu tenho vários blogs salvo nos favoritos mas são muitos que eu não consigo lista-los. Eu sempre gosto de ver o blog da minha amiga, me encanto com as belezas que ela escreve.

Quantos livros lê por mês?
Depende do mês. Mas a base é quatro ou cinco livros.

Livros curtos ou grandes? 
Para mim o tamanho não importa, o que importa é oque ele tem a me mostrar.

Já ficou sem inspiração para postar? Como superou isso?
Acho que todos temos um momento em que a inspiração acaba, né? Eu vivencio isso constantemente e, alias, estou sem inspiração nesse momento. 
Quando isso acontece, prefiro colocar o meu fone de ouvido, colocar uma música calma, pegar o meu caderno onde eu tenho os meus textos escritos e tentar escrever. Mas isso se eu estiver sempre mais calma, se for um dia agitado não dá certo. Isso é bom para relaxar.

Pretende mudar algo no blog em 2014?
Não sei, pode ser que sim mas ao mesmo tempo pode ser que não. 
Acho que isso eu só saberei no futuro em que eu irei percorrer.


Sentimentos incontroláveis


Posso estar misturando as coisas, mas acho que estou gostando dele. E se eu estiver mesmo, devo contar? Não quero perder a sua amizade, não quero que ele se afaste. Por que eu fui gostar dele? O conheço, sei o seu jeito de ser e não quero sofrer.

Não quero que ele sofra, não quero prejudicar a nossa amizade. Quero que seja como sempre foi. Por que não podemos controlar os nossos sentimentos? Penso nele a cada segundo. O seu jeito de ser, seu olhar, seu sorriso... Tudo.

Eu tento disfarçar, mas quando ele me abraça sinto o meu coração disparar. Um dia sem vê-lo é um sofrimento.

Será que ele sente o mesmo por mim? Devo perguntar? Medo se espalha por dentro de mim. Medo de perdê-lo, medo de ele mudar, medo de nunca mais conseguir concertar o meu erro.

Devo esquecer esse sentimento ou encarar sem medo as consequências que enfrentarei futuramente? Não sei... Apenas sei que se eu perder a sua amizade eu não irei conseguir suportar. Ele me faz tão bem.

Estou sufocada com essas duvidas que percorrem a minha mente. São perguntas que nunca serão respondidas. Que um dia irá se apagar e que só eu me lembrarei delas. Que nunca irão ser botadas para fora.

Se um dia o destino nos colocar longe um do outro, eu irei sempre me lembrar dele e imaginar oque teria acontecido se eu tivesse contado. 




Crônica fictícia feita com ajuda da minha linda Parabatai Jess.
Our Constellations - © 2015. Todos os direitos reservados
Template desenvolvido por Fancy Designs
Tecnologia do Blogger| Créditos: Garota no Mundo Html, Jackie Dream e Enjoy Things| △Voltar ao Topo△
imagem-logo