Quotes: Cartas de Amor aos Mortos.

Oii gente, como vocês estão?


Era para esse post ter saído antes, mas as aulas voltaram e eu ainda não estou de bem com o horário. Tem vários posts atrasados, mas isso também entra no fato que, de vez de escrever para o blog, eu escrevi a minha história. Sou uma só e tenho que me dividir, né?


Vou mostrar os quotes maravilhosos que eu selecionei do livro "Cartas de Amor aos Mortos". Eu ia resenhar, juro, mas não consegui colocar meus pensamentos em seu devido lugar a respeito da obra. Não sei, não conseguia. Mas eu gostei do livro, eu indico para vocês. Nem toda obra é perfeita, por isso tem algumas partes do livro que chegaram a ser maçantes demais e um pouco cansativa, o que não prejudicou tanto na leitura. Mesmo a leitura sendo meio... complexa, eu adorei ter lido. Além que a capa é linda, né gente?

Espero que gostem e que leiam esse livro porque vale a pena. Se você gosta de um romance cheio de problemas, provavelmente irá gostar de "Cartas de Amor aos Mortos".

  “Quando você perde alguma coisa próxima, é como perder a si mesmo.

Todos nós queremos ser alguém, mas temos medo de descobrir que não somos tão bons quanto todo mundo imagina que somos.

Halloween é um dos meus feriados favoritos. O Natal e os outros às vezes nos deixam tristes, e há o peso de ter que ser feliz. Mas no Halloween você pode ser o que quiser.

"Sabe por que se apaixonar é o que pode acontecer de mais profundo com uma pessoa? Porque quando estamos apaixonados, estamos totalmente em perigo e completamente salvos, os dois ao mesmo tempo."

"[...] Talvez amadurecer signifique que você não precisa ser uma personagem seguindo um roteiro. É saber que você precisa ser a autora."
Lombada estranha, né?

- O universo é maior do que qualquer coisa que cabe na sua cabeça.

"Quando uma coisa muito ruim acontece, a segunda pior coisa são as pessoas sentindo pena de você."

Esses são alguns quotes aleatórios que eu peguei. 
Gostaram de algum? Já leram o livro? O que acharam??

Playlist: 7 músicas que eu não paro de ouvir

Ooii gente, tudo bem?

Essa é uma coluna nova no blog. É uma coisa que eu sempre quis fazer mas... Simplesmente não sei porque não o realizei antes.
Aqui eu vou colocar as músicas que não saem de maneira alguma da minha cabeça. Elas são mais calminhas porque eu costumo ouvi-las enquanto eu leio. Vamos lá?

1. Can't pretend- Tom Odell.



2. Do I Wanna Know- Arctic Monkeys. 



3. Best Friend- Foster The People.


4. Animals- Maroon 5.


5. Sugar- Maroon 5.


6. Sweater Weather- The Neighbourhood.


7. My Love Is Like a Star- Demi Lovato.


Como deu para perceber, não tenho apenas um estilo de gosto musical. Não sigo apenas uma linha. Realmente eu ouço de tudo o que seja bom, claro. 

Olhem o clipe de Animals, realmente deu o que falar. Já o de Sugar é um amorzinho. Como sempre, Maroon 5 arrasando!!

Não poderia deixar de incluir a Demi nessa lista, né? Eu amo essa música. Ela não tem o clipe, mas eu deixei a versão que eu mais gosto.

Se alguém tiver uma música ou banda para me apresentar, vai em frente *-* Espero que tenham gostado desse post breve!!

Resenha: Meus 15 Anos.

Oii, tudo bem com vocês??

Primeiro eu queria agradecer aos 100 seguidores! Muuuuito obrigada!!!!! Eu estou para fazer umas mudanças no blog sobre layout e tal, mas eu estou insegura pois fui eu mesma que fiz. Sim, é o meu primeiro e eu estou um pouco com vergonha do resultado, hahaha Gostaria da opinião de vocês a respeito se eu deveria trocar ou não...

Mas hoje eu trago a resenha de um livro. Demorou um pouquinho mas é porque tive algumas coisas para arrumar e resolver. 

Pensem em um livro fofo. Pensaram? É exatamente isso que o livro "Meus 15 anos", da Luiza Trigo, nos proporciona. Fofura.



Autor (a): Luiza Trigo.
Editora: Rocco Jovens Leitores.
Páginas: 232.
Gênero: Romance, Juvenil.
Classificação: 

Sinopse: Uma festa de cinema! Este era o sonho de Bia, prestes a se tornar realidade em Meus 15 anos. Ela só não esperava que sua grande noite daria um filme – com direito a drama, romance, comédia e ação de tirar o fôlego.

Bia é a protagonista do segundo romance da escritora carioca Luiza Trigo, que vem conquistando seu espaço entre o público adolescente e pré-adolescente desde sua estreia com Carnaval. Da entrega dos convites ao surpreendente desfecho, a autora conta uma história movida a sonhos, paixões, ciúmes, alegrias, decepções e, principalmente, amadurecimento, amizade e amor.


Tag: Cachorros Literários


Ooi gente, tudo bem? Vocês devem estar pensando "o que que essa cachorra faz aí?". Hoje eu venho com a primeira tag do ano. Era para ser uma resenha, mas eu a vi no blog Sr. Bookaholic e resolvi fazê-la. É bem rapidinha e fala sobre cachorros.
Primeiramente eu estou de luto. Pois é, cachorros não são eternos, mas eu queria que fossem. Sério, não pensei que iria sentir tanta dor ao perder uma cachorrinha, mas parece que uma parte de mim se foi. Principalmente por ela ter estado na minha vida desde 2006, à 8 anos. Ela praticamente cresceu comigo. E no dia 15/01 ela finalmente partiu, bem aqui em frente de casa- atropelada por um carro, e o cara ainda nem parou para ver o que era. Imagine se fosse uma criança? Mas, não querendo entrar nesse assunto, ( =( ) vamos a tag.
Conheçam a Ana chata, hahaha
~Desculpem a falta de criatividade, parece que tem um bloqueio na minha mente hoje.~
A Tag foi criada pela Vanessa Chanice e consiste em relacionar raça de cachorros com os livros.
Shi Tzu - Um livro que você leu porque estava na moda:



Fica até meio clichê falar isso, mas foi A Culpa é das Estrelas.
Na verdade eu nem sabia desse negócio de modinha, as minhas amigas estavam lendo e eu resolvi aproveitar a onda. Sabem como é, né? Mas eu não me arrependo. Assim como o cachorro, o livro é uma graça e um amor.
Aliás, eu fico muito feliz em ter lido esse livro porque foi com ele que eu aprofundei meu conhecimentos e coloquei na cabeça que o câncer é real. Com isso eu realmente comecei a me interessar mais sobre o assunto, até que hoje eu quero me especializar em Oncologia pelo simples fato de tirar um sorriso das pessoas que sofrem com essa doença horrível.
Então, gente, antes de julgar esse livro por modinha, pensem bem a respeito disso que eu acabei de dizer =D

Pit Bull - Um livro que você ainda não leu ou demorou pra ler porque estava intimidado pela leitura:

 

Me julguem de qualquer maneira, mas eu ainda não consegui ler esse livro. Sei que muitas pessoas falam muito bem dele, mas nada me convenceu para lê-lo. Eu tentei, mas não consegui me apegar a história, meio que o livro não é para mim >.< Mas o pitbull é lindo, né?

Pinscher - Um livro que fizeram 'barulho demais' quando foi lançado, mas que não fez jus aos comentários: 

  
Fangirl, com certeza. Não sei se é base de identificação mas esse livro também não funcionou comigo. Eu li ele até o final, mas pulei algumas partes, tais como a fanfic que a Cath- personagem principal- escrevia. Não via muito sentido.
Quando lançou, vi várias pessoas loucas por ele, então resolvi comprá-lo. Não acho que foi dinheiro desperdiçado, foi uma honra lê-lo, mas confesso que deveria ter comprado outro. Esse trecho ficou meio bipolar, não?
Resenha do livro.

Vira Lata - Um livro que não é muito valorizado ou conhecido, mas que é o melhor livro do mundo: 



Esse não foi O melhor livro, O livro que me emocionou, O livro que é todos devem ler. Ele não é nenhum "O", mas é um livro que- não sei por vocês, mas por mim- não é muito conhecido, então eu o escolhi. Até porque na minha estante a maioria é conhecidinho, e esse era o único bom, mas não tem conhecimento que merece >.< Ana sendo confusa para explicar as coisas. 
Ele fala sobre drogas, e eu confesso que é um assunto que eu fico meio tocada. Como uma pessoa pode chegar ao ponto de fazer tudo o que o protagonista fez? Não irei citar as coisas, pois vocês já devem imaginar...
Ah, tem o Vida de Droga, do Walcyr Carrasco, mas O Estudante me deixou mais tocada. Além da história ser real.

Pastor - Um livro que você não empresta pra ninguém: 

 

Lovatic aqui à 5 anos \0/ Não emprestaria esse livro, meu xodó.
"Claro Ana, por que alguém iria querer emprestado esse livro?" "Porque tem os melhores quotes *-*"
Tudo bem, ninguém iria pedir emprestado esse livro, hahaha, confesso!

Salsichinha - Um livro que tem 'muito corpo, pra pouca perna', ou seja, que poderia ter sido encurtado pela metade, porque tem muita encheção de linguiça:


 

*Se minha amiga ver isso ela vai me xingar em japonês.*
Uma Longa Jornada é um livro legal, assim como todo livro do Nicholas Sparks, mas que poderia ter... Não sei, encurtado algumas coisas. Foi com ele que eu desisti de ler os livros do Nicholas, percebi que não vou virar uma leitora amante dele. ~Yasmin, amiga, não me bata, mas é a verdade~
Ele é ótimo, mas não para mim =/

-*-*-*

Então, foi isso e eu espero que tenham gostado. Desculpe por essa fase de "Ana chata". Estou me sentindo um pouco crítica, kkkk.

RIP Gorda ♥ :(

Resenha: Coração Artificial.

Oii pessoal, tudo bem??

Antes de tudo eu gostaria de fazer um agradecimento a Nany do lindíssimo blog Naquele Outono por ter citado o Our Constellations em um post dela. Estou realmente com uma imensa gratidão 

Hoje eu trago a resenha do livro Coração Artificial, do qual eu gostei bastante. Durante a leitura eu não consegui desgrudar do livro, eu passei a madrugada lendo e eu apenas parava porque estava exausta de sono. Foi o primeiro livro do ano. Sim, já estamos quase na metade do mês e  eu não li quase nada, mas eu queria algo inovador. E foi exatamente esse livro que trouxe isso para mim! Posso dizer que me emocionei bastante.

Autor (a): Viviane L. Ribeiro.
Editora: Editora Multifoco.
Páginas: 303. 
Classificação: 
Sinopse:
Gabriel é filho de um importante magnata da indústria de órgãos artificiais, e Alicia é apenas uma estudante inteligente o bastante para ter uma bolsa de estudo na mesma faculdade privada que Gabriel frequenta. O fato é que eles nunca teriam se conhecido se Gabriel não tivesse parado para ajudar Alicia com seus livros e muito menos se aproximado tanto se não a tivesse visto cantar em um bar numa noite. 

Então acontece um acidente de carro.


E estranhamente as pessoas próximas a eles estão tentando mantê-los afastados, e enquanto isso, eles vivem a vida naturalmente, acreditando que o acidente não trouxe nenhuma consequência para suas vidas. 
Mas a verdade é que estão completamente errados. 


Primeira parceria do blog!

Oi pessoal, como vocês estão? Eu, particularmente, estou derretendo com o calor que faz na minha cidade. Nem o ar-condicionado está aguentando, hahaha.

Hoje eu venho com um post bem pequeno, mas que trás uma novidade mais que boa!
O blog está fazendo a sua primeira parceria com a Viviane L. Ribeiro, que é autora do livro Coração Artificial. Uhuuuuuuuuuu \0/
Vi esse livro pela primeira vez no blog Construindo Estante, da Eliana, e logo me interessei. Entrei em contato com a Viviane e aqui estou eu, hahaha.
Posso dizer que eu estou, finalmente, conseguindo administrar bem o meu blog. Ele está crescendo e novas oportunidades estão surgindo!


Sinopse:
Gabriel é filho de um importante magnata da indústria de órgãos artificiais, e Alicia é apenas uma estudante inteligente o bastante para ter uma bolsa de estudo na mesma faculdade privada que Gabriel frequenta. O fato é que eles nunca teriam se conhecido se Gabriel não tivesse parado para ajudar Alicia com seus livros e muito menos se aproximado tanto se não a tivesse visto cantar em um bar numa noite. 

Então acontece um acidente de carro.


E estranhamente as pessoas próximas a eles estão tentando mantê-los afastados, e enquanto isso, eles vivem a vida naturalmente, acreditando que o acidente não trouxe nenhuma consequência para suas vidas. 
Mas a verdade é que estão completamente errados. 

Adicione o livro no Skoob.

-*-*-

Sobre a autora:

Viviane L. Ribeiro é de Belo Horizonte (MG). 
Ama seus animais, seu marido e sua família. Mas acha que ama ainda mais livros, porque sempre os deixa para ler e escrever. Faz faculdade de Letras e forma no final desse ano. 
É colecionadora de trilha sonora de filmes favoritos e apaixonada por astronomia, apesar de não entender nada do que os astrônomos falam e não conseguir localizar uma constelação.
Além dos livros sua outra paixão é música; toca violão e orgão, mas definitivamente ama mais o primeiro.



Blog da autora.





Eu estou louca para ler esse livro, parece ser muito bom. Obrigada Viviane por ter aceito essa parceria, eu estou muito feliz! Espero ler em breve e gostar da história!

[Série] My Mad Fat Diary


Hoje eu trago a resenha de uma série maravilhosa para vocês. Mas, antes, um fato sobre mim:


1. Não gosto de ver séries, por incrível que pareça eu não tenho essa hábito.(mas estou tentando mudar).

Sim, eu acho isso um pouco estranho, mas não tenho tanta paciência. Então, para eu gostar de uma série é porque 1) ou ela é realmente muito boa ou 2) eu estava no tédio, então resolvi vê-la. Com certeza, a primeira é mais aceitável pois ela é maravilhosa e eu a recomendo para todo mundo. Obrigada Thais por me indicar My Mad Fat Diary, e quem quiser me indicar alguma outra série boa, eu fico realmente muito grata.



Rae Earl nunca gostou de si mesma, sempre via algum defeito em si própria por se achar feia e, principalmente, gorda. Por esse motivo, ela se auto-mutilava para que a dor de se achar assim passasse. Depois de 4 meses internada em um hospital psiquiátrico, resolvem que ela deve voltar para casa. 

Rae reencontra a sua amiga de infância, Chloe, e tenta se aproximar novamente dela. Ela luta para ser aceita em uma sociedade onde acham que ser gorda é um pecado e, ao mesmo tempo, tenta combater o passado negro dela e tenta encontrar o príncipe encantado que a ame do jeito que ela é. 

Chloe sempre anda com o seu grupo de amigos, e isso fez com que Rae fizesse novas amizades. Ela nunca imaginou que iria se enturmar com um grupo tão unido como aquele. Iremos conhecer Finn, que era o quieto e que nunca fala com Rae, fazendo assim parecendo que não a suportava(); Chopp era o mais animado e o bagunceiro; Izzy era mocinha fofa e linda, mas sem noção e sem um pingo de inteligência; Archie era maravilhoso e conquistou a Rae, mas que esconde um segredo (); Por fim, a Chloe que sempre foi linda e magra.



Até agora parece que a série é dramática e depressiva. Mas não é. A série e os personagens em si são bem humorados, deixando a série com uma trama bem legal. A Rae passa por tantas coisas e insultos que eu nem sei como que ela ainda consegue enfrentar tudo isso. Mesmo sendo em uma época diferente da nossa e que nós não vivenciamos o que a Rae passa, eu meio que senti como que é estar na pele dela, então você começa a entender e, de alguma maneira, você se identifica com ela e torce para que tudo fique em perfeito estado. Tudo bem que teve momentos em que eu fiquei com raiva da Rae, mas não pude evitar. Como ela tem 16 anos, pensa que pode fazer tudo o que quer, tornando-se uma típica adolescendo rebelde. Acaba fazendo umas burradas, mas logo se arrepende por causa das consequências. A série retrata perfeitamente como é  ser adolescente. 

A trilha sonora dessa série é composta por Oasis e mais Oasis por ser o maior amor da Rae. Confesso que não gosto e também não desgosto da banda, então para mim é algo neutro, mas para alguém que é muito fã dessa banda e de outras que fazem parte dos anos 90, irão gostar.

Fiquei muito viciada na série, quando comecei eu não queria mais parar. Eu tentei ir devagar, mas as duas temporadas se passaram em um pulo, o que doeu bastante pois eu queria mais e mais. Me apeguei facilmente aos personagens, são tão fofos. Em pouco tempo eu já estava shippando a maioria. O bom é que grande parte ficaram juntos...

Em questão de temporada favorita, eu acabo ficando com a primeira pois é aonde se encontra mais diversão. A segunda foi mais tensa, o grupo- ou gangue- acabou meio que se "separando" nos últimos episódios, fazendo assim meu coração despedaçar. Mas nada que fizesse eu odiar e querer parar de assistir a série. Ela continuou sendo ótima. Espero ansiosamente pela terceira temporada dessa série que conquistou meu coração ♥.



Fiquem com o Finn 

Quando eu te amei...

Feliz ano novo atrasado!!!! Como sempre, Ana enrolando nos posts. Mas vou tentar mudar isso, já que fiz algumas metas para esse ano...
Bem, esse é o primeiro post de 2015, então espero que gostem. É um texto meu e eu o retirei da história que eu estou escrevendo. Para quem não sabe, ela se chama "Quando eu te amei..." e eu estou postando ela no Wattpad. Espero que gostem ;)


A chuva caía no lado de fora. Olhava a janela e tudo indicava que não iria parar. Não sei se eu chorava por aquilo ou agradecia. No momento, tudo o que eu queria era ficar sozinha, mesmo sabendo que eu não deveria fazer isso. Eu tinha que tentar esquecer ele e sair para curtir um pouco a vida. Ficar aqui não iria adiantar nada.
Calço meus tênis e coloco o casaco mais quente que eu tinha. Em Curitiba fazia muito frio. 


Desci o elevador e, não dando tanta importância a chuva, fui direto à praça que tinha em frente ao prédio. Não estava importando com o fato de estar com uma roupa nada amigável e, muito menos, como eu ia acordar no dia seguinte. Estava prevendo um resfriado das bravas. Apenas sentei em um banco perto do chafariz que não funcionava mais e fiquei pensando em tudo o que tinha acontecido nos últimos dias. Não me arrependo de nada, tenho que confessar que eu adorei o tempo que passei com ele, mas infelizmente ele não confiou em mim. A minha vontade é de ficar aqui até um raio cair em cima de mim. 


Vejo as pessoas me olhando feio. Não sei o porquê. Deve ser pela minha aparência que não esta nada agradável, mas isso é a última coisa que eu estou pensando nesse momento. Apenas observo as pessoas correndo e andando para lá e para cá de um lado para o outro como se o mundo fosse acabar. Tudo bem, isso está meio depressivo, mas é tudo o que eu consigo pensar nesse momento. Por incrível que pareça isso está menos depressivo do que o meu quarto. Pelo menos aqui eu posso respirar o ar puro- e chuvoso. 


- Alice o que você está fazendo aqui? - uma voz familiar diz atrás do banco onde eu estava sentada. 


- Isso está meio claro, eu acho. - digo não dando importância pra saber de quem era aquela voz. Tudo bem que eu estava curiosa para saber de quem era, mas ele que veio aqui então ele que se proteste.


- Eu fui no seu apartamento para tentar falar com você mas o porteiro disse que você tinha saído apressadamente de lá. E que não estava com cara de bons amigos. - Vitor, só pode ser ele. O que ele está fazendo aqui? Ele finalmente se senta no meu lado do banco. Me afasto um pouco dele, não quero contato porque sei que se eu o olhar eu irei, simplesmente, me perder nos lindos olhos verdes.


- Huumm... Que coisa. - concluo.- Ele talvez esteja certo. Mas focando, por que diabos você veio até aqui? - pergunto olhando para sua roupa toda molhada da água da chuva. 


- Vim atrás de você. 


- Nossa, que cavalheiro. - digo com ironia na voz. Calma Alice, você está se saindo muito bem. 


- Eu fui um completo idiota, por favor, me perdoa Alice. Eu preciso muito de você do meu lado, junto comigo. 


Fecho os olhos e levanto do banco. Olho para ele que está quase ajoelhando para fazer com que eu aceite seu pedido, mas eu quero dificultar para ele. Dessa vez eu não deixarei barato. 


Saio andado rápido em direção ao meu prédio novamente, mas ele me alcança e coloca suas mãos em minha cintura fazendo-me parar de andar. Me viro para ele e finalmente consigo olhar profundamente para aqueles olhos que faz eu perder a minha identidade. Ele se aproxima de mim fazendo meu nariz tocar no dele. Sinto que minha respiração está acelerada, e percebo que a dele não está diferente. O que está acontecendo comigo? Eu tenho que resistir. Não posso desistir agora. 


- Volte a ser minha, por favor. - ele diz. Me aproximo ainda mais dele juntando o meu corpo no seu, fazendo assim com que não deixe nenhum espaço entre a gente. Toco na sua bochecha e levo meus dedos em direção ao seu lábio. Minha maior vontade é de beijá-lo aqui nesse exato momento. Até que não seria má ideia. Mas, em vez de fazer isso, aproximo meus lábios da sua orelha e sussurro: 


- Eu apenas serei sua se você conseguir me mostrar que você realmente vale a pena. 


Viro e corro em direção ao meu prédio. Eu não acredito que eu fiz isso. Consegui suportar a tentação de beijá-lo. 


Entro num banho quente para tirar todo o caco da chuva que restou. Aqui consigo pensar em tudo o que aconteceu. 


- Essa eu pago para ver. - digo para mim mesma.
Our Constellations - © 2015. Todos os direitos reservados
Template desenvolvido por Fancy Designs
Tecnologia do Blogger| Créditos: Garota no Mundo Html, Jackie Dream e Enjoy Things| △Voltar ao Topo△
imagem-logo